Moçambique não necessita de ajuda para combater os insurgentes, diz Chipande

Alberto Joaquim Chipande foi convidado especial de programa da Televisão de Moçambique alusivo aos 56 anos do início da luta Armada de Libertação de Moçambique.

Quando questionado sobre a insurgência armada protagonizada por terroristas na província nortenha de Cabo Delgado e da necessidade de Moçambique recorrer a ajuda internacional para combater os terroristas, o veterano da Luta de libertação Nacional foi categórico em afirmar que o país não precisa recorrer a ajuda internacional, pois as Forcas de Defesa e Segurança (FDS) são capazes de bater de frente com estes grupos radicais do Al shabab.

Alberto Chipande que é um político moçambicano e membro de longa data da FRELIMO. Foi o primeiro ministro da Defesa de Moçambique a independência em 1975, permanecendo no cargo pelo menos até 1986 sob a presidência de Samora Machel.

Chipande também foi membro da Messa Política da FRELIMO, que dirigiu o governo durante 18 dias no final de 1986 após a morte de Machel. É também deputado do FRELIMO na Assembleia da República pelo círculo eleitoral da Província de Cabo Delgado.

Importa referir que Chipande é creditado com o disparo dos primeiros tiros que marcaram o início da Luta Armada de Libertação Nacional à 25 de setembro de 1964. Quando a independência foi alcançada em 1975, tornou-se Ministro da Defesa no primeiro governo da FRELIMO.

Artigo publicado à 24 de Setembro de 2020


Deixe o seu comentário, compartilhe e não se esqueça de deixar um Like/Gosto/Curtir a nossa página no Facebook e seguir a nossa página no Instagram